02 dezembro, 2012

Minha, única


Amo-te
De uma forma minha, bem minha
Não sei se certa ou errada
Se bonita ou feia
Diferente ou comum
Não ligo para o que pensam ou o que dizem
Não grito ao mundo
Nem saio postando em redes sociais
É singelo, é simples
É meu
Egoísta não
É teu
Divido com você
Mas só contigo, não preciso de mais ninguém
De aprovações ou de nãos
A única voz que preciso ouvir é a sua
A única opinião que importa
A única reprovação que me faria mudar
A única
A minha menina/mulher.

01 dezembro, 2012

Castelo de areia


Feito uma criança inocente
Você constrói um castelo
De areia
Passa horas moldando, imaginando
Olhando quão belo está ficando
E quando quase pronto
O vento forte derruba tudo
Não era de verdade
Mas também não era falso
Era de areia, de brincadeira
No fundo sabíamos que cairia
Que acabaria
Caiu.

28 novembro, 2012

Chove


Não a tenho ao meu lado esta noite
Nem nesta, nem em muitas outras sem você
Foi difícil, confesso...
Mas superei
Já não abraço o travesseiro
Nem procuro seu corpo ao meu lado na cama
Mas esta noite chove
A chuva me traz lembranças, me traz você
E esta noite vou dormir ao som da chuva com a sensação de você estar aqui
Por que de tanto me lembrar, parece que cada vez que chove é você quem entra pela janela
O som da chuva me lembra nós dois
Esta noite não durmo só!

16 novembro, 2012

É seu


O meu amor não é louco
Ele é real
É de verdade
É visível, sólido
Ele não pula de prédios altos, não escala montanhas
Não te rouba a lua e nem te leva para lugares jamais vistos
Ele é daqueles que tiram seu sono, seu fôlego e sua roupa
Ele não voa, nem atravessa o mundo num balão
Não vai morar no inferno pra provar
Nem banho gelado no inverno tomar
Nas desejaria todo o dia a mesma mulher
Ele não atravessa paredes, mares ou luta contra exércitos
Mas ele vai à padaria comprar pão de queijo todas as manhãs
Não te traz todos os jardins do mundo
Nem vai atrás da mais linda rosa
Mas fica no sofá, com você de pijama assistindo a chuva lá fora
E ele é seu

10 novembro, 2012

Quando


É chato quando liga pra perguntar onde estou
É chat quando você não liga
É ruim quando me acorda no meio da noite com um SMS bobo
É ruim acordar e ver que não mandou nada
É um saco responder todos seus emails
É um saco quando não tem email pra responder
Dá medo quando você aparece assim, do nada
Dá medo quando você não aparece
Tem hora que quero gritar com você
Tem hora que quero gritar por você
Já pensei em desistir, em ir
Temi que desistisse, que fosse
Aquela vez que eu não quis te atender
Aquela vez que desligou o telefone
Aquele dia que chorou
Sorri
Aquele dia que sorriu
Chorei.

05 novembro, 2012

Que jamais senti

Que tenho por ti uma amor doentio
Que confio mais em ti que a mim mesmo
Amor que jamais senti por outro alguém
Logo eu, tão egoísta
Tão narcisista
Ainda me amo, mas menos que a ti
Se faço algo é por saber que é certo
E se não for, me corrija
Errei tentando acertar

23 outubro, 2012

Fora



Tento jogar fora apenas os problemas
Só que às vezes me excedo
Jogo fora também as soluções
E até algumas pessoas importantes

18 outubro, 2012

De baixo




Não sei o motivo, mas um dia eu desci
Agora está todo mundo lá
Se divertindo
E eu fico aqui de baixo, só olhando
Sei lá, mas é mais ou menos assim que me sinto

15 outubro, 2012

É acordar


O medo não é dormir
É acordar
É estar eu mesmo amanhã
Ver que nada mudou
Nem vai
É olhar no relógio e já ter passado das 10
Sem perspectiva
Apenas mais um dia
Que antecederá a tantos outros
O sono é o de menos
Nele não preciso me esconder
Difícil é me encarar
Olhar o sol a brilhar e me dizendo que mais um dia vai começar

19 setembro, 2012

Inseparáveis e imperfeitos

Eram dois por mera casualidade
Já não conseguiam viver separados
Qualquer "ir ali" já batia saudade
E mesmo não se entendendo;
Ela era de esquerda e queria conhecer o mundo
Pra ele uma cerveja e o jogo na TV era o mundo
Ela linda num salto alto e unhas vermelhas
Ele de camiseta, bermuda e chinelos
Inseparáveis e imperfeitos
Acho que essa que era a graça

17 setembro, 2012

Altos e Baixos

Um dia ele acordou
Olhou pro lado
E viu que não era ela a mulher que ele queria
Um dia ele acordou
Olhou pro lado
E viu que não era sozinho que ele queria ficar
Um dia ele acordou
Tomou coragem
Engoliu o orgulho
Se desculpou
Um dia ele acordou
Olhou pro lado
E viu que ali estava a mulher da sua vida
Um dia ele acordou e entendeu que dias felizes virão
Mas são nos de amargura que o amor prevalece!

07 setembro, 2012

Reapareceu


E de repente você apareceu
Se me perguntassem diria que morreu
Aliás, me convenci disso
Para mim, você já não existia mais
Até que u, dia nossos olhares se cruzaram novamente
Depois de tudo o que fez, queria o que?
Que abrisse um sorriso e perguntasse como está?
Não sou falto a este ponto
Te olhar já foi demais
Você foi longe de mais
E por mais que eu me arrependa de não ter ido junto contigo,
Não era a hora de você aparecer
E desfazer tudo o que passei anos juntando
Pôr à tona toda a história que criei sem você
Não era a hora
Não é justo!

31 agosto, 2012

Supera tudo


É chato quando liga para perguntar onde estou
Mas é pior quando você não liga
É ruim quando me acorda no meio da noite com um sms bobo
Ma é pior acordar e ver que não mandou nada
É um saco responder a todos os seus emails
Mas é bem pior quando não tem email seu para responder
Irrita quando você aparece assim, do nada
Mas dá medo quando você não aparece
Tem hora que quero gritar com você
Tem hora que gritar por você
Aquela vez que não quis me atender
Aquela vez que desliguei o telefone
Aquele dia que chorou
E eu sorri
Aquele dia que sorriu
E eu chorei
Já pensei em desisti, em ir
Já temi que desistisse, que fosse

05 agosto, 2012

A distância

Ruim é quando você se fecha no seu mundo e me deixa aqui do lado de fora
Pior é quando eu aceito
Difícil é quanto faço o mesmo
Aí você não vem e eu não vou
A distância, às vezes, é o que aproxima as pessoas
A proximidade, contudo, causa um relaxamento
Um distanciamento
Acomodados, é claro
O tempo é o desgaste natural
Falta aquela vontade de atravessar o mundo para abraçar
Para sentir, tocar, beijar
O logo ali é tão perto que nem vamos conferir
É essa saudade que me faz ser assim
Pegar esse carro, encarar a estrada
Só pra te ver sorrir


25 julho, 2012

Livro Palmeiras x São paulo As Histórias do Choque-Rei


O Choque-Rei é uma das maiores rivalidades do futebol brasileiro. O livro traz histórias inéditas e conhecidas, tiradas de arquivos pessoais e dos próprios clubes. Apresenta fichas de todos os jogos envolvendo as equipes e de todos os jogadores que vestiram as duas camisas. Destaca também as partidas mais importantes e entrevistas com grandes jogadores que fizeram parte deste clássico.
O objetivo da obra é resgatar a história deste grande clássico do futebol paulista, que não habita apenas as quatro linhas, mas que vai muito além delas. O inicio da rivalidade, a influência da Segunda Guerra Mundial, a década de ouro, o polêmico jogo das barricas, o jogo da lama, o Palestra Itália, o São Paulo da Floresta, o Paulistano e muito mais.
Trabalho de dois jornalistas apaixonados pelos seus clubes, mas, acima de tudo, amantes do futebol.
O livro conta ainda com prefácio do jornalista Mauro Beting.

“Nossa pretensão era alcançar uma única verdade, uma verdade absoluta. Engano nosso. Esta verdade não existe, nunca existiu. No jornalismo não há verdades inexoráveis, existem fatos, versões, contos, histórias, os dois lados da moeda. Diversas foram às vezes que o mesmo lado tinha dois lados. Foi com isso que nos deparamos. Hoje temos a nossa verdade, eu, Renato, tenho a minha, Gabriel a dele. Você ao ler o livro pode concordar, discordar e até mesmo encontrar mais uma história para contar.”
Renato Souza

Os autores
Gabriel Lopes Vieira é jornalista formado pela Universidade Bandeirante de São Paulo em 2010. Trabalhou na Federação Paulista de Futebol e no Comercial Futebol Clube.
Renato Ferreira de Souza é jornalista formado pela Universidade Bandeirante de São Paulo em 2010. Trabalhou no Portal Terra e no jornal Feira News.

LANÇAMENTO
DATA: 11/08/2012 (SÁBADO)
HORÁRIO: 20H
LOCAL: PAVILHÃO DE EXPOSIÇÕES DO ANHEMBI - AVENIDA OLAVO FONTOURA, 1.209 - SANTANA
EDITORA IN HOUSE
RUA G - ESTANDE 94

04 julho, 2012

Olhando-te

Quantas foram às vezes que já nos cruzamos?
Que já nos olhamos sem nada dizer um para o outro
Sabe que eu sempre te reparei
Juro que nunca da forma com que estou olhando hoje
Um jeito especial
Não sei explicar, mas é diferente
De certa forma você me atraiu
Coisa que não acontecia antes
Algo mudou
Em mim?
Talvez, já que a iniciativa parte de mim
Iniciativa?
Não!
Só estou aqui parado te olhando
De fato és linda
Não posso esconder isso
Se bem que já é sabido por todos
Por ti também
Não negues
Sei que sabes
Tantos fazem o mesmo que eu
Observam
Desconheço-te totalmente
Talvez aí um pouco da minha curiosidade
Aguçada com esse sentimento de indiscrição
Disfarçava
Agora já não mais
Escondia o meu desejo
Já não se faz necessário
Correspondido?
Ainda não
Tenho paciência
Eu espero
Te espero!
Mesmo sabendo que você não vem
Sou ciente da distancia que nos separa
Das barreiras existentes entre nós
Transponíveis?
Talvez!
Só que no momento só quero ficar onde estou
Parado
Te olhando
Desejando
Imaginando o que possa vir acontecer
Entre eu e você?
Quem sabe?
Ficas tão linda quando está sozinha
Me sinto tão pequeno ao seu lado...

02 julho, 2012

Um nós


Foi quando você olhou em meus olhos e perguntou:
Mas e eu?
E eu nada lhe disse
Não precisava
Enquanto pensares assim, somente em ti
Enquanto ainda houver um eu e um você
Assim, dois
Separados
Distantes
Desiguais
Enquanto não houver um nós...

23 junho, 2012

Simplesmente era para acontecer


E de repente você apareceu
Eu virei a esquina e você estava lá
Como que se me esperasse
Como que já soubesse dos meus passos
Como que já previsse que iria passar por ali
Não era coincidência
Também não era premeditado
Era maior que isso
Simplesmente era para acontecer
E não para entender
Durou meros segundos
Um olhar, dois olhares
Três e um sorriso
E tudo voltou ao normal.


29 maio, 2012

Amor perfeito


Como se chama um homem inteligente, bonito, sensível e disponível?
Chama-se de amor
É aquele cara que nem sempre inteligente, mas que te faz rir
É aquele que suas amigas não acham tão bonito, mas que é sempre carinhoso
É aquele que age como um ogro, mas que chora num filme triste
Disponibilidade?
Ah, demora mas aparece
Até porquê ninguém é assim, tão perfeito.

05 maio, 2012

Só!

Me sinto só, estou só, sou só
Procuro por você, mas não consigo te encontrar
Onde você está?
Às vezes parece que está tão perto, mas ao mesmo tempo tão distante
Por que você ainda existe?
Por que você ainda insiste?
Não sei mais o que fazer, estou a ponto de enlouquecer
De fazer uma loucura pra tentar te esquecer
Será?
Sonho acordado querendo estar dormindo
Sempre te procurei, nunca te ganhei
Sempre te quis, nunca te tive
Será que se eu desistir e esquecer e para de tentar
Será que assim você vem pra mim?
Às vezes me vêem calado, sozinho sentado num canto
Pensam: solitário, triste, aborrecido, chato, metido
Não
Apaixonado, romântico enrustido
Mas nada, absolutamente nada vai mudar esse meu jeito de ser
Jamais vai tirar do meu rosto o sorriso
Pelo qual um dia você também se apaixonou.

04 maio, 2012

A gente morre um pelo outro


Já faz um tempo que precisávamos conversar
Falar de coisas que nos incomodam
Mas nem sempre tive coragem de dizer o que penso
Ou o que quero de você
E percebo o mesmo em você
Nunca fala o que te incomoda em mim
E o tempo não foi tão nosso amigo assim
Sei que às vezes até pareço outro
Falo e faço coisas que nem eu mesmo acredito
Você também não fica atrás
O problema é entender que a culpa também é sua
E com raiva, nem eu, nem você, admitimos os nossos erros
E de novo vou sair de casa
Vou tentando esquecer
Só que dessa vez a cerveja e os amigos só me levam a você
E outra vez vou atrás de ti
E você aceita a minha volta
Assim, simples
Sem questionamentos, sem mais nem menos
E a gente finge que nada aconteceu
Todo mundo sabe que a gente morre um pelo outro
Não tem jeito, não tem saída!


03 maio, 2012

Interrogações




Era uma história bonita
Mas cheia de vírgulas, asteriscos, parênteses, aspas e interrogações
Alguém tinha que colocar um ponto final.

01 maio, 2012

Identidade


Quem é você?
É uma pergunta simples, objetiva e direta
Sem rodeios
Dúvidas
Dubiedade
Para uma resposta
Única
Claro, se verdadeira
Do contrário passaremos dias discorrendo sobre o tema
Perguntar não ofende, diz a sabedoria popular
Mas ofende
Magoa
Olhe para o lado e indague
Questione
Pergunte a si mesmo de todas as formas possíveis
Quem é você?
No sentido mais complexo da palavra
Mas não responda
Se ousar a se perguntar, não responda
Fiz esta pergunta na segunda linha, ali deveria ter me respondido
Se continuou a ler, se ficou em dúvida
Se lhe deu mais de uma resposta
Pare
Reflita
Quem afinal é você para você mesmo?
O que sou para você?

17 abril, 2012

Sofrer por amor


Na vida a gente descobre alguns amores
Umas paixões
Paixonites
Coisas que valeram a pena
E outras que nem tanto
Os de verdade
Os de mentira
Os rápidos porem marcantes
Os longos que até já esquecemos
Os que tentamos lembrar
E os que jamais esquecemos
E tudo isso para que?
Simples
Já sofreu por amor?
Já?
Então não era amor
Ele não te faz sofrer!

07 abril, 2012

Feliz Dia do Jornalista

Me sirva outro uísque, vamos conversar

Abra essa sua garrafa de uísque,vamos conversar
Sei que tens novidades
Também sei que tens muitas duvidas
Incertezas
Questionamentos sobre o amanhã
Sim, o futuro
Não que se importe muito com isso
Nem que dê bola a essas sentimentalidades
Mas ultimamente tenho lhe observado
Esta mais calmo, tranquilo
Mais sozinho, apesar de não viver pelos cantos
De fato tens falado mais, dado mais atenção aos que te cercam
Mas sente falta de algo
Ou de alguém
Te conheço o suficiente para saber
Seu sorriso aberto não esconde seu olhar de tristeza
Não esta feliz
Não é feliz
Te falta algo
Alguém
Me sirva outro uísque, vamos conversar.

28 março, 2012

26 março, 2012

Estranho


Nem tudo que é estranho causa repulsa
Muito pelo contrário, atrai ainda mais
Desperta a curiosidade
Aguça alguns sentidos outrora adormecidos
O estranho às vezes é simplesmente extraordinário
Ou então está lá para ser admirado
Singular
E de tão alheio passamos a querer,
Vira atração

25 março, 2012

23 março, 2012

Mesmo Sozinho

Sozinho mesmo que acompanhado
Estranho, mas parece que você esteve aqui
Esteve por um longo período
E já não está mais
Mas ainda é possível te sentir
Mas quando esteve parecia que estivesse longe
Distante de mim
Acho que nunca esteve
Nunca foi minha
De fato, nunca
Sempre fui só
Sozinho comigo mesmo
Estou feliz
Mesmo sozinho
Mas sinto saudades
Do seu sorriso de manhã
E do quarto tão desarrumado
Por que você foi pra tão longe?
Espero que esteja feliz
Não vou mais ficar pensando
Se tivesse sido contrário
Estou feliz!

15 março, 2012

Sinceramente...



Em todos estes 25 anos de vida, a sinceridade só me trouxe duas coisas
Verdadeiros amigos
E grandes desafetos
Os amigos são verdadeiros por aceitarem esse meu jeito controverso de ser
Os desafetos são grandes por não concordarem com esse meu mesmo jeito e falar isso na minha cara
Mas todos os amigos são verdadeiros
É pena que nem todos os desafetos sejam grandes
Por que, sinceramente...
Eu não tô nem aí para o que ambos pensam de mim!

11 março, 2012

Por ela


E tenho por ela um amor sincero
Diferente desses aí
Esses que surgem do mesmo modo que somem
Um amor aberto, franco
Leal
Sem frescuras e nhem, nhem, nhens
Bonito
Um amor assim, daqueles difíceis de explicar
Complicados de entender
Impossíveis de não amar

06 março, 2012

Tudo mudar

E se de repente tudo mudar?
Melhorar
Voltar a ser como antes
Se tornar o que nunca foi
Ou ser o que sempre se esperava que fosse
Surpreender
Por que não tentar?
O que você tem a perder?

03 março, 2012

Números

Desses 9340 dias
Resolvi destacar alguns importantes
Não sei exatamente o grau de relevância deles, mas alguns mudaram completamente o rumo da minha história, ou fizeram ela ser mais feliz.
Como nos mais de 3400 dias em que convivo com um cachorro Labrador preto, que me tira do sério, mas que em mais de três mil dias me fez sorrir.
Mas desses tantos, destaco, hoje, apenas os mais recentes
Há 472 dias acontecia o mais feliz de todos esses mais de 9300
Há 381 cumpri uma etapa de vida que pensei que iria mudar para sempre o resto dela
Há 419 dias estou sentando neste quarto sem ter o que fazer
Sem saber o que fazer, nem como fazer
E até hoje eu não sei o por quê
Há 271 meus dias são mais alegres
Consegui um motivo para sorrir
Há dois tudo isso aí acima perdeu o sentido.

02 março, 2012

Why you're so sad?

O que é um palhaço que não pode sorrir?
Às vezes a vida fica tão triste...
Às vezes nós é que complicamos tudo
Às vezes
Estou tão triste
E não sei o porquê
Estou meio distante
Sozinho
Onde está você agora?
Cadê a felicidade?
Preciso de você como nunca precisei de nada em minha vida
Estou tão triste
Você pode me ajudar?
Traga o sorriso do palhaço novamente, mesmo que só um pouquinho.

01 março, 2012

Nem tanto ao mar, nem tanto à terra

Nem tanto ao mar, nem tanto à terra
Um equilíbrio lógico
A tão sonhada calmaria
O ponto de paz
A tranquilidade que o som das águas cessa
Longe da tormenta
Distante da calmaria
Imóvel tal como as rochas
Olhando tudo que a vida me deu
E eu não soube viver
É pena!

28 fevereiro, 2012

Maior que ontem

E por mais distante que esteja
Os meus pensamentos vão chegar
Porque sempre será maior do que ontem
E menor que amanhã
Não há nada capaz de mudar.

23 fevereiro, 2012

Jamais será tão belo



- Desculpa
- Pelo que?
- Por ter feito você chorar
- Mas não chorei de tristeza
- Eu sei
- Era um choro de alegria, eu estava realmente feliz
- Notei, também fique feliz. Mas por mais suntuoso que seja um choro ele jamais será tão belo quanto o seu sorriso.

14 fevereiro, 2012

Tudo tão blasé

Está tudo muito chato
Está tudo um porre
E sóbrio fica ainda mais difícil de aturar
Tudo igual
Nada muda
Sempre mais do mesmo
Sempre a mesma ladainha
O mesmo blá blá blá
Os mesmos caras, os mesmos rostos
Até as bundas são as mesmas
As conversas não rendem
Os assuntos não empolgam
Tudo tão blasé
Démodé
Que até eu mudei o estilo de escrever.

13 fevereiro, 2012

Um jeito diferente

Se satisfizesse todos meus desejos
Não teria vida útil
Se satisfizesse os seus
Não teria graça
Se não ficasse louco a cada toque
A cada encostar
A cada querer
A cada gostar
E a cada te amar
Para que ainda estaria aqui?
Cada novo dia um jeito diferente de amar você

08 fevereiro, 2012

Saudade

(latim solitas, -atis, solidão)
s. f.
1. Recordação nostálgica e suave de pessoas ou coisas distantes, ou de coisas passadas
2. Pesar, mágoa que essa privação causa
3. Nostalgia


de alguém falecido
de alguém que amamos e está longe ou ausente
de um amigo querido
de alguém que não vemos há imenso tempo
de alguém que não conversamos há muito tempo
de lugares
de comida
de situações
de um amor
do tempo que passou...

29 janeiro, 2012

Iluminar

São apenas dias nublados
Dias de chuvosos
Dias negros
Aqueles dias em que se tem vontade de nada
Até levantar da cama é difícil
Nada estranho
Nada anormal
Os dias são assim
Logo mais o sol vai clarear
Vai brilhar
E lá do alto iluminar o caminho e nos aquecer
Isso passa
A chuva passa
E tudo logo volta ao normal.

27 janeiro, 2012

Se chama amor

Certa vez, conversando com um amigo:
Se você vai dormir pensando em alguém, esse alguém é muito importante para você
Mas e quando se vai dormir, acorda e passa o dia todo pensando em alguém?
Isso se chama amor, cara
Mas e quando não é correspondido?
Também se chama amor, só que dói um pouquinho mais.

24 janeiro, 2012

Nunca mais

E se eu não quiser te ver?
E se eu nunca mais quiser olhar na sua cara?
E se não mais quiser que me toque?
E se o beijo não der mais tesão?
E se eu não sentir mais nada por você?
E se eu simplesmente desistir da gente?

É muito simples
Não estou aqui para satisfazer suas vontades
Eu as ignoro, te agarro e te mostro quem manda
Até mesmo por que os seus "nunca mais" não duram mais que dois dias
Somos loucos um pelo outro, não tem essa de não querer mais.

21 janeiro, 2012

Não se separa o indivisível

Não me peça para esquecer
Já é inerente a mim
Não me diga o que fazer
Eu sei o que é bom para mim
Não finja não se importar
Não vai me ferir
Chore, que eu choro
Sofra, que eu sofro
Morra, que eu deixo de existir
Sozinho você não vai conseguir
Já não somos dois
Não se trata de eu e você
Somos nós
Um só coração
Um motivo
Uma razão
Não se separa o indivisível
Sempre haverá esperança
Sempre estará comigo
Assim como estarei com você.

18 janeiro, 2012

Sentados no sofá da sala



Perfeito?
Perfeito mesmo seria se você batesse a porta
Com um pote de sorvete
Um DVD de um filme qualquer
Com todo o tempo do mundo para ficar ao meu lado
Sentados no sofá da sala.

17 janeiro, 2012

Cego, surdo e mudo

Você não quer o melhor namorado do mundo
Você quer algo um pouco diferente
Alguma coisa para abraçar, apertar e morder
Que esteja sempre ao seu lado quando precisar
Quando precisar
De preferência que te aqueça enquanto frio
Que mime
E sem questionamentos
Submisso, talvez
Dócil, flexível e obediente
Com poucas vontades
Mas que satisfaça as suas
Por mais controversas ou díspares que sejam
Cego, surdo e mudo
Mas que te enxergue
Te ouça
E fale apenas o que quiser ouvir
Um brinquedo
Que você possa se divertir
Brincar até quebrar
Sem insatisfações, nem cobranças
E muito menos mudanças
Desde que da sua parte
Comodista?